Ir para áreas de especialização

Saúde

A investigação e a inovação em Saúde estão a posicionar-se como a ponta de lança neste novo período, tanto na Estratégia Espanhola de Ciência, Tecnologia e Inovação 2021-2027 como no Horizon Europe.

Próximos desafios na área da Saúde

A pandemia teve um grande impacto nas políticas de saúde, incluindo os programas europeus de colaboração como o Horizon Europe, nos quais ficou evidente a necessidade de estarmos preparados a nível europeu e internacional para a sua gestão. A situação extrema demonstrou que é possível trabalhar em projetos de I+D+i em saúde de forma coordenada, partilhar dados ou realizar compras de medicamentos e vacinas de forma centralizada para evitar as desigualdades de acesso à saúde entre os países membros.

O avanço mais significativo foi a criação da Autoridade Europeia de Preparação e Resposta a Emergências Sanitárias (HERA) para prevenir, detetar e responder rapidamente a emergências sanitárias. A HERA está a ser um pilar fundamental da União Europeia no domínio da saúde. Desde a sua criação em setembro de 2021, a HERA tem colaborado com os Estados membros e diversas partes interessadas, incluindo a indústria e a sociedade civil, para desenvolver atividades destinadas a melhorar a preparação e a resposta às ameaças para a saúde no âmbito das contramedidas médicas.

Em Portugal, existem várias ajudas no campo da saúde para impulsionar a investigação, a inovação e a prestação de cuidados de saúde de alta qualidade. Estas ajudas são essenciais para enfrentar os desafios presentes e futuros no setor da saúde e garantir o bem-estar dos cidadãos. O Programa Nacional de Saúde (PNS) é um programa governamental que define as políticas de saúde em Portugal e estabelece as prioridades para melhorar o sistema de saúde do país. Este programa inclui medidas para promover a prevenção, o diagnóstico precoce e o tratamento eficaz de doenças, bem como para melhorar o acesso aos serviços de saúde em todo o país.

Além disso, a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) é a principal entidade de financiamento da investigação científica e tecnológica em Portugal. Esta fundação financia projetos de investigação na área da saúde, incluindo estudos clínicos, investigação biomédica e desenvolvimento de novas terapias e tecnologias médicas.

Os programas operacionais regionais, financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), incluem medidas para melhorar a qualidade e a acessibilidade dos serviços de saúde em diferentes regiões de Portugal. Estes programas visam reduzir as desigualdades em saúde e promover o desenvolvimento regional equilibrado.

Por fim, o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) é um organismo público que realiza investigação científica e presta serviços de referência no campo da saúde pública em Portugal. Este instituto desempenha um papel fundamental na vigilância epidemiológica, no controlo de doenças infecciosas e na promoção da saúde pública em geral.

A cooperação dos diferentes actores no desenvolvimento da saúde é essencial porque os problemas de saúde não podem ser resolvidos individualmente. Com esta forma de colaboração, os principais benefícios estão relacionados com a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos e com a melhoria estratégica dos sistemas de saúde.

Atualmente, as doenças crónicas e infecciosas e a resistência antimicrobiana são algumas das frentes em que o sector está mais envolvido. Além disso, é necessário fazer face ao envelhecimento da população: o número de pessoas com mais de 65 anos na UE irá aumentar 70% até 2050. Por fim, a luta contra o cancro deve ser tida em conta, como uma das 5 missões definidas pelo Horizon Europe no seu programa.

Projectos de I&D&I no domínio da saúde

A investigação e a inovação no domínio da saúde estão posicionadas como uma ponta de lança neste novo período. A situação extrema demonstrou que é possível trabalhar em projectos de I&D&I no domínio da saúde de forma coordenada.

Os nossos números

40%

Quota de financiamento no Horizonte Europa

50%

Quota de financiamento noutros programas europeus

70

Propostas apresentadas no domínio da Saúde na Europa

+540

Proposta apresentada nos programas europeus (21-23)

salud

Dificuldades na área da Saúde

Um dos principais obstáculos enfrentados pelo setor da saúde neste momento são desde os diferentes tipos de colaboração até à diversidade de modelos organizacionais, sistemas de informação, interoperabilidade, equipamentos e políticas que dificultam a cooperação. Mas, acima de tudo, deve-se ter em conta que o mercado dos medicamentos e produtos sanitários não é um mercado livre, o que torna mais complicado que as inovações sejam implementadas.

Além disso, muitas das pesquisas médicas realizadas não conseguem materializar-se porque não se consegue demonstrar a eficácia clínica observada em modelos animais ou fases iniciais de ensaios clínicos, e embora permitam avançar no conhecimento, não chegam a ser aplicadas aos pacientes. As estatísticas mostram que apenas um em cada 10.000 compostos chega ao mercado.

Naturalmente, a saúde está relacionada com áreas como o meio ambiente e a digitalização, que já se tornaram domínios transversais. Por isso, a importância do meio ambiente na saúde está cada vez mais evidente, assim como a necessidade de políticas que considerem o impacto da poluição ambiental nas doenças crónicas, permitindo abordar uma estratégia global voltada para o cidadão. Quanto à digitalização, a UE estabeleceu-a como uma prioridade no mundo da saúde, porque o impacto do uso de ferramentas digitais para melhorar a qualidade assistencial dos cidadãos é muito grande.